Promotor e procurador brigam em academia de prédio em BH

Os membros do MPMG se desentenderam na semana passada
vista panoramica de belo horizonte
Cenário eleitoral de BH é retratado na pesquisa O Fator/Ver. Foto: PBH/Breno Pataro

Um incidente envolvendo dois membros do Ministério Público de Minas Gerais resultou em um boletim de ocorrência na semana passada, em Belo Horizonte. Um promotor de Justiça e um procurador de Justiça protagonizaram uma briga na academia de um prédio, no bairro Santo Agostinho. A cena tem movimentado os bastidores do MPMG.

Segundo relatos, o desentendimento começou por volta das 10h, quando o procurador entrou na academia onde o promotor estava treinando com seu personal trainer. As versões dos envolvidos divergem sobre o que desencadeou a discussão.

De acordo com o promotor, o procurador o teria acusado de falar mal dele em uma reunião de condomínio e o ofendido. O promotor alegou que, ao ver o procurador se dirigir a uma bolsa de ginástica, temeu por sua segurança devido a uma suposta ameaça anterior envolvendo uma arma de fogo.

Por outro lado, o procurador afirma que foi o promotor quem iniciou a provocação, encarando-o de forma intimidadora. Ele alega ter questionado o motivo desse comportamento, o que teria levado o promotor a mencionar que queria brigar.

A situação escalou rapidamente, resultando em agressão física. O promotor admitiu ter desferido um soco no rosto do procurador, enquanto este último acusa o promotor de tê-lo enforcado e mordido sua mão durante o confronto. O procurador apresentou diversas escoriações pelo corpo, que atribui às agressões sofridas.

O procurador também mencionou um histórico de problemas com o promotor e sua esposa, atual síndica do prédio, alegando que ambos estariam dificultando sua moradia no edifício.

O incidente foi registrado pelas câmeras de segurança do condomínio, e testemunhas foram indicadas por ambas as partes. Devido às prerrogativas funcionais dos envolvidos, o caso será encaminhado à Procuradoria-Geral de Justiça e à Corregedoria-Geral do MPMG para as devidas providências.

Posicionamento

Em contato com a reportagem, a defesa do procurador se posicionou com uma nota. Segue na íntegra:

Os advogados do Procurador de Justiça de Minas Gerais, G.F.S., vítima das agressões oriundas de um Promotor de Justiça no último dia 25.06, informam que os socos e chutes (que resultaram em vários hematomas e escoriações); a mordida (que resultou em vários pontos cirúrgicos na mão esquerda); e o estrangulamento (que provocou fratura da cartilagem do pescoço), tudo praticado pelo vizinho, geraram risco à vida da vítima, de 61 anos, que demandou atendimento médico de urgência e, em razão das sérias lesões, ainda permanece em tratamento médico-hospitalar. A gravidade dos fatos demonstra que consequências mais graves não ocorreram graças à rápida intervenção de terceiros presentes no local. Providências estão sendo tomadas para responsabilização do autor na esfera criminal e disciplinar, com confiança na atuação séria da honrosa instituição que é o Ministério Público, cuja reputação não deve ser indevidamente manchada por bárbaros atos de violência de um de seus membros.

Leia também:

Psol aciona Justiça por suspensão da lei que criou ‘censo do aborto’ em BH

MP denuncia famílias que adotaram homeschooling em cidade mineira

Justiça vê irregularidade em nomeação no interior de Minas e cita deputado em sentença

Acompanhe O Fator no Instagram

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse