Ex-chefe de gabinete do BDMG é preso por suspeita de estupro e cárcere privado

Vítima alega que crimes foram cometidos durante 18 horas no apartamento do agressor, em Botafogo, no Rio de Janeiro
Ex-chefe de gabinete do BDMG, Lucas Dib, é preso por estupro e cárcere privado
Lucas Dib atuou no BDMG entre 2019 e 2022. (Foto: Reprodução / Linkedin)

A Polícia Civil do Rio de Janeiro abriu inquérito para investigar a denúncia de estupro, cárcere privado, ameaça e estupro, contra Lucas José Dib, de 35 anos, ex-chefe de gabinete do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG). Ele foi preso, nesta quinta-feira, em um apartamento em Botafogo, na Zona Sul da capital carioca.

O crime, segundo a vítima, uma mulher de 31 anos, aconteceu no início do mês, mais precisamente em 4 de abril. Ela alega que foi torturada durante 18 horas, após um passeio por quatro bares da região.

As agressões aconteceram no apartamento de Lucas. Em depoimento, a vítima afirmou que conseguiu escapar do imóvel, pois compartilhou com amigos a localização e um deles conseguiu resgatá-la.

A mulher passou por exames de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML). Segundo a Polícia Civil, o laudo confirmou o estupro e as agressões.

O Fator tenta contato com a defesa de Lucas Dib. A reportagem será atualizada assim que tiver um posicionamento.

Atuação no BDMG

Lucas Dib trabalhou no BDMG de abril de 2019 a janeiro de 2022. Ele era chefe de gabinete do presidente do Banco, Sérgio Gusmão.

Leia também:

Federação PT-PV-PCdoB adia prazo para tomar decisão sobre candidaturas em grandes cidades

Movimentos sociais vão entregar a vereadores PL por tarifa zero nos ônibus em BH

Ex-deputado Narcio Rodrigues vira réu por suposto desvio em convênio em MG

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse