O que está por trás do desligamento da usina da Gerdau em Barão de Cocais

Unidade deixou de ser competitiva para a empresa, que deve anunciar novos investimentos em Minas e no Brasil
Unidade da Gerdau em Barão dos Cocais foi paralisada. Foto: Divulgação.

O desligamento da usina da Gerdau em Barão de Cocais, na região Central de Minas, pegou muita gente de surpresa. A empresa informou hoje, em nota, que a unidade vai entrar em um período de hibernação. Mais de 400 funcionários serão demitidos.

O Fator apurou os motivos que estão por trás do desligamento da usina. A Gerdau disse que a decisão é resultado de uma “profunda análise da competitividade da planta, face às condições do mercado de aço no Brasil”.

A realidade é que novos investimentos devem ser anunciados em breve. A expectativa, agora, é focar os esforços para aumentar a produção no estado e no Brasil. A unidade de Ouro Branco e de Divinópolis devem ser uma das principais beneficiadas, inclusive com geração empregos.

Estima-se que a unidade tinha 487 funcionários. A Gerdau se comprometeu a garantir os direitos trabalhistas dos profissionais: “a empresa buscará a realocação do máximo de colaboradores em outras unidades, além de oferecer programas de capacitação na área industrial”.

Ainda de acordo com a empresa, o atendimento aos clientes não sofrerá alteração.

Leia também:

Ex-deputado Narcio Rodrigues vira réu por suposto desvio em convênio em MG

A viagem de José Dirceu a Belo Horizonte

MPF vai investigar invasões e ameaças contra indígenas Pataxó em MG

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse