Servidora é presa após mentir sobre falso câncer e receber R$ 656 mil do Estado

Ação fraudulenta tinha valor total de R$ 1,6 milhão; outros dois envolvidos foram detidos
Servidora foi presa enquanto trabalhava no Fórum de Divinópolis. Foto: Divulgação.

Uma servidora da Vara da Fazenda Pública e Autarquias foi presa na tarde desta quarta-feira em uma operação contra uma fraude milionária em Divinópolis, na região Centro-Oeste. Outros dois envolvidos também foram detidos.

De acordo com o Ministério Público, a assessora articulou uma ação fraudulenta para obter a liberação de R$ 1,6 milhão para comprar medicamentos destinados a um paciente com câncer. Toda a história não passava de uma mentira.

R$ 656 mil já haviam sido depositados na conta de um dos investigados.

Detalhes

A operação ‘Efeito Colateral’ contou com a participação de dois promotores de Justiça, oito agentes do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), 15 policiais militares e oito viaturas.

— Conforme apurado, os investigados, utilizando-se de documentos falsos, ajuizaram uma ação contra o Estado de Minas Gerais, com o objetivo de obter recursos financeiros para suposta compra de medicamentos para o tratamento de um falso câncer de um dos envolvidos — explicou o MPMG em nota.

Foram cumpridos três mandados de prisão e dois mandados de busca e apreensão para arrecadar materiais ilícitos, objetos e instrumentos ligados às práticas criminosas.

— Tendo em vista o prejuízo gerado ao Estado de Minas Gerais, houve bloqueio de contas bancárias e sequestro de bens móveis e imóveis dos investigados — disse.

Leia também:

Psol aciona Justiça por suspensão da lei que criou ‘censo do aborto’ em BH

MP denuncia famílias que adotaram homeschooling em cidade mineira

Justiça vê irregularidade em nomeação no interior de Minas e cita deputado em sentença

Acompanhe O Fator no Instagram

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse