Teto de auxílio-moradia de deputados da ALMG passa para R$ 7,8 mil

Em dois meses, o benefício terá dois reajustes. O valor vai saltar de R$ 4.377,73 para  R$ 8.251,59 em fevereiro
Deputados estaduais da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) em audiência
Em fevereiro, deputados estaduais terão reajuste de salários e de benefícios (FOTO: Guilherme Dardanhan/ALMG)

O teto do auxílio-moradia dos deputados estaduais está 78% maior. O valor, antes limitado a  R$ 4.377,73, pode atingir R$ 7.809,54. O reajuste foi concedido por meio de uma deliberação da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) publicada em 23 de dezembro.

Com a mudança, o auxílio-moradia passou a ser limitado a 25% do salário dos deputados estaduais, que, hoje, é de R$ 31.238,19.

E o benefício deve ter um novo reajuste em fevereiro, quando o salário dos parlamentares vai subir para R$ 33.006,39. Com isso, o valor do auxílio-moradia vai saltar para R$ 8.251,59.

Por meio de nota, a ALMG informou que a Casa segue as regras de ressarcimento de gastos com moradia adotadas pelos Conselhos Nacionais de Justiça (CNJ) e do Ministério Público (CNMP).

Esclareceu, ainda, que continua vedado o ressarcimento a parlamentares que possuam imóvel na Capital e mantida a necessidade de requerimento e comprovação das despesas para indenização.

“A ALMG não tem um gasto fixo com esses ressarcimentos, uma vez que estes podem variar de acordo com as solicitações e despesas comprovadas mensalmente, observadas as regras e limites estabelecidos”, finalizou.

Leia também:

STF vira palco de nova batalha judicial sobre ações de prefeituras contra mineradoras no exterior

A queda de braço entre o PT e o PRD pelo apoio do Republicanos em Contagem

Pontapé inicial do novo PTB em Minas tem Saraiva Felipe, Apolo Heringer e ex-deputados

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse