ALMG tem ao menos 10 deputados na disputa por prefeituras

As eleições de 2024 dominaram o assunto entre os parlamentares na volta do recesso na Assembleia Legislativa de Minas Gerais
Deputados estaduais reunidos no plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais para mais uma reunião ordinária
Deputados estaduais voltaram aos trabalhos na ALMG após o recesso (FOTO: Elizabete Guimarães / ALMG)

O ano na Assembleia Legislativa de Minas Gerais se inicia com, ao menos, dez deputados cotados a serem candidatos a prefeito em suas regiões. O tema foi o principal assunto na terça e na manhã desta quarta (21) na Casa.

Em BH, Bruno Engler (PL) aposta em representar a direita e terá o apoio do ex-presidente Jair Bolsonaro. O PL até chegou a ensaiar pressionar o deputado federal Nikolas Ferreira a sair candidato, mas o acordo prévio pelo nome de Engler falou mais alto.

Ainda na capital, as deputadas Bella Gonçalves (PSOL) e Ana Paula Siqueira (Rede) se colocam como pré-candidatas. Na noite desta terça, nos bastidores da Assembleia, um deputado até chegou a brincar com as duas colegas as chamando de “prefeitas”, mas lembrando que ambas fazem parte da mesma federação Rede-PSOL – ou seja, se quiserem mesmo avançar na ideia, só uma poderá estar nas urnas.

Outra deputada que pode arriscar o pleito é Andréia de Jesus (PT). A petista pode ser candidata a prefeita de Ribeirão das Neves, na região metropolitana. O nome até está cotado, mas não tem lá tanto apoio interno.

Além de Engler, há pelo menos outros quatro com candidaturas certas: Fábio Avelar (Avante) em Nova Serrana, Leonídio Bouças (PSDB) e Caporezzo (PL) em Uberlândia, e Professor Cleiton (PV) em Varginha.

Bosco (Cidadania) cogita disputar o Executivo em Araxá. Já a vice-presidente da Assembleia Leninha (PT) aguarda um acerto interno no partido para se organizar para uma possível disputa em Montes Claros, terra do colega petista e deputado federal Paulo Guedes.

Leia também:

Servidora é presa após mentir sobre falso câncer e receber R$ 656 mil do Estado

Justiça proíbe Prefeitura de Ouro Preto de realizar contratações temporárias

Ministério e deputados montam força-tarefa para acompanhar denúncias feitas por terceirizados da educação em BH

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse