Enfim as obras do Hospital Regional de Valadares serão retomadas

Governo inabilitou consórcio que venceu licitação e deu sequência para obra ser tocada pelo 2º colocado
O projeto inicial previa um investimento de mais de R$ 75 milhões que já estão disponíveis nos cofres públicos.
O projeto inicial previa um investimento de mais de R$ 75 milhões que já estão disponíveis nos cofres públicos / Divulgação

Demorou mas saiu: enfim as obras do Hospital Regional de Governador Valadares vão ser retomadas. Nesta quarta (17), o governo mineiro publicou decisão administrativa inabilitando o Consórcio HR, que havia vencido a licitação para tocar a reforma mas interrompido os trabalhos, por ausência de comprovação de capacidade técnica das empresas envolvidas. A secretaria de Infraestrutura convocou, então, o segundo colocado na licitação e, logo, retomar os trabalhos.

O Hospital Regional de Governador Valadares começou a ser construído em março de 2013, porém, as obras foram paralisadas três anos depois, em agosto de 2016, com aproximadamente 69% da construção já executada.

Quem muito comemorou o anúncio feito pelo governo mineiro foi o deputado estadual Enes Cândido, que participou das articulações para que a obra voltasse a sair do papel – o parlamentar chegou a se reunir com conselheiros do TCE, com o MP de Minas e também com membros da gestão Zema.

“Garantir que esse processo seja reiniciado continuará sendo uma prioridade do nosso mandato em 2024. Desde o início do nosso mandato tenho percorrido todas as instituições envolvidas neste processo a fim de entender e buscar soluções para esse problema. É importante esclarecer que essa publicação não garante a retomada imediata das obras, mas já é uma sinalização importante do Governador na busca da solução”, afirma do parlamentar.

As obras do hospital regional de Governador Valadares é a única do modelo que continua paralisada no Estado. O projeto inicial previa um investimento de mais de R$ 75 milhões que já estão disponíveis nos cofres públicos. Esses recursos são fruto de um acordo homologado junto à 12ª Vara da Justiça Federal como parte de compensação dos prejuízos causados pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, em 2015.

Leia também:

Ex-deputado Narcio Rodrigues vira réu por suposto desvio em convênio em MG

A viagem de José Dirceu a Belo Horizonte

MPF vai investigar invasões e ameaças contra indígenas Pataxó em MG

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse