Governo de Minas autoriza estudos para mudança no projeto da linha 2 do Metrô de BH

Autorização é preliminar e ainda não representa uma aprovação às mudanças pedidas

O governo de Minas Gerais autorizou a concessionária Metrô BH, empresa responsável pela operação do trem urbano de Belo Horizonte, a continuar com os estudos para alterações na futura linha 2 do modal, entre o Barreiro e o Calafate. A concessionária deseja mudar o projeto original e construir apenas uma linha no acesso entre as estações Ferrugem e Barreiro. Inicialmente, duas linhas seriam construídas entre os pontos de parada.

A autorização para a continuidade dos estudos, entretanto, é preliminar, e não representa aval definitivo às mudanças pleiteadas. A O Fator, a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade de Minas Gerais (Seinfra) informou que a Metrô BH terá de apresentar “todos os estudos e simulações necessárias ao cumprimento do contrato, devendo, inclusive, analisar os impactos de novas integrações e expansões do sistema”.

A Seinfra também destacou que, de acordo com o contrato de concessão, a eventual economia obtida pela concessionária em relação ao projeto original deve ser reequilibrada em favor do estado. Portanto, todo valor economizado com a não construção de uma segunda linha precisa ser aplicado em outras ações ligadas à implantação do novo itinerário do modal ferroviário.

Conflito com área da MRS Logística

O pedido de alteração foi feito porque a construção de dois acessos poderia se “embolar” a linhas férreas já existentes, localizadas no pátio de manobras da empresa MRS Logística. O terreno da empresa fica justamente no percurso entre as estações Barreiras e Ferrugem.

O pátio da MRS, aliás, é uma concessão do governo federal. À época da renovação da autorização para o uso da malha ferroviária por parte da empresa, em julho de 2022, ficou definido que a companhia de logística e a Metrô BH deveriam estudar, conjuntamente, os meandros da implantação da Estação Barreiro.

A solução, então, foi compatibilizar as operações do trem urbano e dos vagões da MRS.

“Dessa forma, o metrô utilizará, no modelo apresentado, a atual linha 1 do pátio”, explicou a Seinfra.

Expansão prevista no contrato

O contrato de concessão prevê a implantação de sete estações ao longo dos aproximadamente 10 quilômetros de extensão da futura linha 2. São elas: Nova Suíça, Amazonas, Nova Gameleira, Nova Cintra, Vista Alegre, Ferrugem e Barreiro.

As estações Ferrugem e Barreiro estarão separadas por cerca de dois quilômetros. Será a maior distância entre os pontos de parada da linha 2.

O projeto do novo itinerário tem, ainda, uma superestrutura de duas vias para o Metrô BH, bem como 700 metros da interligação com a linha 1, que vai da Estação Vilarinho, em Venda Nova, ao Eldorado, já em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).

Leia também:

Psol aciona Justiça por suspensão da lei que criou ‘censo do aborto’ em BH

MP denuncia famílias que adotaram homeschooling em cidade mineira

Justiça vê irregularidade em nomeação no interior de Minas e cita deputado em sentença

Acompanhe O Fator no Instagram

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse