Lula e cassinos: apostei mas não traguei

Presidente quer se eximir de responsabilidade política pela legalização dos cassinos, bingos e jogo do bicho
Lula dá entrevista à rádio Meio Norte
Lula: lavando as mãos sobre a jogatina. Reprodução/CanalGov/YouTube

Quando o assunto é legalização dos cassinos, Lula quer investir no discurso “apostei mas não traguei”, eximindo-se da responsabilidade pelas consequências.

Em entrevista nesta sexta (21) à Rádio Meio Norte, do Piauí, Lula disse o seguinte:

“Eu não sou favorável a jogo não (…) Mas também não acho crime. Se o Congresso aprovar, e for feito um acordo entre os partidos políticos (…) não tem por que não sancionar”.

O líder do governo Lula no Senado, Jaques Wagner, ensaiou discurso semelhante ontem. Em entrevista coletiva, o senador baiano disse:

“O governo não firmou posição. Eu pessoalmente votei a favor, porque eu não acredito em nada proibido como solução de nada. Hoje, com os jogos no celular e nos computadores, o jogo, cassino, por assim dizer, tá dentro de casa”.

O projeto que legaliza cassinos foi aprovado na CCJ nesta semana por apertados 14 x 12. Além de Wagner, outros dois petistas presentes também votaram a favor: Fabiano Contarato e Rogério Carvalho. Do partido, apenas Janaína Farias (PT-CE) votou contra. Portanto, se o PT tivesse fechado questão contra os cassinos, a proposta teria sido reprovada na comissão.

Na madrugada de fevereiro de 2022 em que Lira pôs para votar os cassinos no plenário da Câmara a história era diferente. O PT orientou voto contra. Dos 36 deputados do PT presentes, 35 votaram contra, e Paulo Pimenta se absteve.

Lula, portanto, não pode lavar as mãos. Está claro que o PT mudou de ideia e passou a ser a favor da jogatina.

Leia também:

Psol aciona Justiça por suspensão da lei que criou ‘censo do aborto’ em BH

MP denuncia famílias que adotaram homeschooling em cidade mineira

Justiça vê irregularidade em nomeação no interior de Minas e cita deputado em sentença

Acompanhe O Fator no Instagram

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse