Os detalhes do pedido de recuperação judicial da Odebrecht

Ação envolve 12 empresas do grupo e dívida total de R$ 90 bilhões
Com o pedido de recuperação judicial, a Odebrecht busca reestruturar suas dívidas e readequar sua estrutura de capital. Foto: Rovena Rosa/ Agência Brasil
Com o pedido de recuperação judicial, a Odebrecht busca reestruturar suas dívidas e readequar sua estrutura de capital. Foto: Rovena Rosa/ Agência Brasil

A Odebrecht Engenharia e Construção (OEC), braço de construção do Grupo Novonor (antiga Odebrecht), protocolou nesta quinta-feira (27) um pedido de recuperação judicial na 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo. O processo envolve 12 empresas do grupo e uma dívida total de R$ 90 bilhões.

Segundo a ação ingressada pela Odebrecht na Justiça paulista, cerca de 87% dos créditos sujeitos à recuperação judicial são de natureza financeira. Do total da dívida declarada, R$ 65 bilhões correspondem a créditos intercompany, ou seja, entre empresas do próprio grupo.

A OEC alega que a crise no setor de infraestrutura, agravada pelos impactos da Operação Lava Jato e da pandemia de Covid-19, comprometeu sua capacidade de gerar receitas e cumprir com suas obrigações financeiras. A empresa destaca que, mesmo após uma recuperação extrajudicial realizada em 2020, não foi capaz de gerar recursos suficientes para o pagamento de suas dívidas. Segundo a ação, nos quatro primeiros meses de 2024, conquistou cerca de US$ 1,4 bilhão em novos projetos, devendo alcançar um saldo de obras contratadas de US$ 6 bilhões até o final do exercício.

O grupo, que completa 80 anos de história em 2024, afirma empregar direta e indiretamente mais de 15 mil profissionais em 12 países. A OEC ressalta sua importância no setor de engenharia e construção, destacando a execução de grandes projetos de infraestrutura no Brasil e no exterior.

Com o pedido de recuperação judicial, a Odebrecht busca reestruturar suas dívidas, reorganizar suas atividades e readequar sua estrutura de capital. A empresa pretende implementar um plano de recuperação nos próximos 60 dias, que incluirá a injeção de novos recursos na modalidade debtor-in-possession, conforme previsto na Lei de Recuperação Judicial.

A construtora argumenta que o processo de recuperação judicial é essencial para preservar suas operações, empregos e capacidade de execução de projetos, bem como para manter sua competitividade no mercado de engenharia e construção.

O pedido abrange as seguintes empresas: Odebrecht Engenharia e Construção S.A., Odebrecht Holdco Finance Limited, OEC S.A., OEC Finance Limited, CNO S.A., CBPO Engenharia Ltda., OENGER S.A., Odebrecht Overseas Limited, OECI S.A., Tenenge Engenharia Ltda., Belgrávia Serviços e Participações S.A. e Tenenge Overseas Corporation.

Leia também:

Psol aciona Justiça por suspensão da lei que criou ‘censo do aborto’ em BH

MP denuncia famílias que adotaram homeschooling em cidade mineira

Justiça vê irregularidade em nomeação no interior de Minas e cita deputado em sentença

Acompanhe O Fator no Instagram

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse