PIB brasileiro cresce 0,8% no 1º trimestre de 2024, impulsionado pelo setor de serviços

Outro destaque positivo foi o aumento dos investimentos, alavancados pelo aumento na importação de bens de capital, no desenvolvimento de software e na construção
O principal destaque do relatório foi o desempenho robusto do setor de serviços, que cresceu 1,3% no período. Foto: Divulgação/IBGE
O principal destaque do relatório foi o desempenho robusto do setor de serviços, que cresceu 1,3% no período. Foto: Divulgação/IBGE

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta terça-feira (4) os resultados do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil no primeiro trimestre de 2024. De acordo com os dados apresentados, a economia brasileira registrou um crescimento de 0,8% em relação ao trimestre anterior, superando as expectativas do mercado.

O principal destaque do relatório foi o desempenho robusto do setor de serviços, que cresceu 1,3% no período. Esse segmento foi responsável por impulsionar a economia brasileira, compensando a queda de 0,5% observada na indústria e a estagnação no setor agropecuário. Dentro do setor de serviços, as atividades de transporte, armazenagem e correio tiveram um crescimento expressivo de 2,1%, refletindo a retomada do comércio e do fluxo de mercadorias. Além disso, os serviços prestados às famílias, como restaurantes, hotéis e atividades recreativas, registraram um aumento de 1,8%, impulsionados pelo aumento da demanda interna e do turismo.

Investimentos e consumo das famílias impulsionam a demanda

Do lado da demanda, os investimentos tiveram um crescimento robusto de 2,4%, indicando a confiança dos empresários no cenário econômico. Esse aumento foi impulsionado principalmente pelos investimentos em máquinas e equipamentos, que cresceram 3,2%.O consumo das famílias, por sua vez, registrou um aumento de 0,7%, contribuindo positivamente para o crescimento do PIB. Esse resultado reflete a melhora gradual do mercado de trabalho e o aumento da renda disponível das famílias.

Exportações e importações em alta

No comércio exterior, tanto as exportações quanto as importações apresentaram crescimento no primeiro trimestre. As exportações aumentaram 1,2%, impulsionadas pela demanda global por produtos brasileiros, enquanto as importações cresceram 1,5%, refletindo a maior demanda interna por bens e serviços.

Perspectivas para o restante do ano

Apesar do crescimento positivo no primeiro trimestre, o IBGE ressalta que ainda existem desafios a serem enfrentados. A inflação persistente, as incertezas globais e os gargalos na cadeia de suprimentos podem afetar o desempenho econômico nos próximos meses.No entanto, as projeções do mercado apontam para um crescimento anual do PIB brasileiro em torno de 2,5% em 2024, impulsionado pela continuidade da retomada econômica e pela manutenção de políticas fiscais e monetárias adequadas.

Leia também:

Ex-deputado Narcio Rodrigues vira réu por suposto desvio em convênio em MG

A viagem de José Dirceu a Belo Horizonte

MPF vai investigar invasões e ameaças contra indígenas Pataxó em MG

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse