‘Não perdi as esperanças’, diz prefeito de BH sobre apoio de Kalil na eleição

Fuad Noman, do PSD, deseja ter o colega de partido em seu palanque; ex-prefeito ainda não definiu o que fará no pleito
fuad noman evento
O prefeito de BH, Fuad Noman. Foto: Rodrigo Clemente/PBH

O prefeito de Belo Horizonte, Fuad Noman (PSD), tem dado sinais de que ainda crê na possibilidade de ter o apoio do ex-prefeito Alexandre Kalil, também do PSD, em sua campanha à reeleição. Nesta sexta-feira (7), durante café da manhã com jornalistas, Fuad disse não ter desistido de conseguir ter Kalil como cabo eleitoral.

“Gostaria muito que ele estivesse nos apoiando. Não perdi as esperanças de que ele faça isso. Mas preciso respeitar a opinião dele, que está olhando, ainda, todo o cenário”, afirmou.

Kalil ainda não bateu o martelo sobre o que fará na eleição de outubro e tem mantido conversas com diversos pré-candidatos. Nessa quinta-feira (6), por exemplo, esteve com o deputado federal Rogério Correia (PT), que pode disputar a Prefeitura de BH. 

Desde o ano passado, o ex-prefeito já conversou com ao menos seis pré-candidatos, como Mauro Tramonte (Republicanos), Paulo Brant (PSB) e Duda Salabert (PDT). Segundo Fuad, as conversas de Kalil com outras forças políticas estão relacionadas à sua importância no cenário político.

“Nosso partido é muito aberto e democrático. Ele não obriga ninguém a seguir nenhuma orientação partidária. Kalil tem toda a liberdade de escolher onde quer ir – se quer apoiar A, B ou ninguém”, apontou.

Quatro partidos na aliança

A coalizão em torno da pré-candidatura de Fuad Noman já tem a presença, além do PSD, de mais três partidos: União Brasil, Solidariedade e PRD — fruto da incorporação do PTB ao Patriota.

Quando o acordo com o União Brasil foi selado, os pessedistas deram, à legenda aliada, a possibilidade de indicar o candidato a vice-prefeito. De acordo com Fuad, o partido deve apontar um leque de nomes para o posto e, a partir daí, a definição deve ser conjunta.

Um dos cotados é o vereador Álvaro Damião, com quem Fuad tem relação próxima.

“Se o União indicá-lo, vou ficar satisfeito”, garantiu o prefeito.

A dobradinha PSD-União nos postos de candidato a prefeito e a vice tem, como um dos motivos, o bom tempo de rádio e televisão que o União tem a oferecer. A agremiação possui cerca de dois minutos do total destinado às propagandas eleitorais.

Leia também:

MP denuncia prefeito por beneficiar empresa em contratos de R$ 43 mi

Federação PT-PV-PCdoB adia prazo para tomar decisão sobre candidaturas em grandes cidades

Movimentos sociais vão entregar a vereadores PL por tarifa zero nos ônibus em BH

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse