Novas saídas da PBH reforçam desgaste entre PT e Fuad

Secretária de Assistência Social pediu para deixar a pasta na última semana
Fachada da sede da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH)
Essa é a terceira saída da Secretaria de Assistência Socia da PBH em uma semana (FOTO: Adão de Souza / PBH)

E o PT deu uma nova demonstração de descontentamento com o governo Fuad Noman (PSD). Depois de perder a secretaria de Assistência Social, Segurança Alimentar, e Cidadania, Rosilene Rocha, na semana passada, outras duas funcionárias da pasta pediram para deixar os seus cargos.

Nesta terça-feira, foram publicadas as exonerações da diretora de Políticas para a População LGBT, Gisella Pereira Lima, e a Subsecretária de Direitos de Cidanania, Glecenir Vaz Teixeira.

Internamente, as duas foram vistas como as principais atingidas pelo recuo de Fuad ao atender a bancada cristã da câmara e determinar a retirada de adesivos com as cores arco-íris e a frase “Bem-vindes” da porta do Centro de Referência LGBT+.

Na semana passada O Fator que Rosilene é ligada à ala petista mais próxima do deputado federal Patrus Ananias – pai do vereador Pedro Patrus.

A relação entre Rosilene Rocha e Fuad vinha se desgastando já há algum tempo. No final do ano passado, pressionado pela bancada cristã da Casa, o prefeito recuou na publicação de uma portaria que regulamentava lei federal para equiparar mulheres trans às mulheres cis em questões burocráticas, fato que irritou membros da secretaria.

Leia também:

MP denuncia prefeito acusado de beneficiar empresa em contratos de R$ 43 milhões

Federação PT-PV-PCdoB adia prazo para tomar decisão sobre candidaturas em grandes cidades

Movimentos sociais vão entregar a vereadores PL por tarifa zero nos ônibus em BH

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse