PT resiste a ter Bella como vice de Rogério, e Psol fará ato indicando deputada

Aliança foi firmada em meio a negociações de Brasília
Reunião no Planalto reuniu lideranças e pré-candidatos. Foto: Divulgação
No mês passado, Lula se reuniu com Bella e Rogério em Brasília Foto: Divulgação

Depois de acertar apoio à candidatura de Rogério Correia (PT) à Prefeitura de Belo Horizonte, o PSOL quer emplacar a deputada estadual Bella Gonçalves como vice – mas enfrenta resistência de boa parte dos petistas. O Fator apurou que, na avaliação de parte da direção do PT tanto em Minas quanto dirigentes da Executiva nacional, a pessoa que acompanhará Correia na chapa preferencialmente deveria ser de um partido “mais ao centro”.

Na avaliação de alguns petistas, a presença de um nome do PSOL pouco agregaria eleitoralmente à campanha de Rogério, uma vez que o eleitorado mais alinhado ao partido naturalmente caminhariam para apoiar o candidato do PT.

Por conta da resistência de alas petistas, o PSOL até prepara um ato no sábado (13), com a presença do pré-candidato petista, para indicar publicamente o nome de Bella Gonçalves para vice de Rogério. A ideia é mobilizar as redes e membros dos partidos a pressionarem pela conjuntura, que é difícil de acontecer.

Nas últimas semanas, a direção do PSOL mineiro, inclusive, aprovou uma resolução em que aceita indicar o nome para vice de Rogério em BH. Na mesma votação, aprovou, também, resolução que reforça entendimento do diretório nacional ao não se aliar a chapas que possuem partidos que foram da base de Jair Bolsonaro.

A propósito, Bella Gonçalves manteve sua pré-candidatura a prefeita até quando deu: em junho, os diretórios nacionais do PT e do PSOL alinharam que os cofres do fundão eleitoral petista só seriam abertos à candidatura de Guilherme Boulos em São Paulo caso os pessolistas caminhassem com Rogério Correia em BH. E assim, aconteceu. A informação do acordo foi publicada pela “Folha de S.Paulo” e confirmada por O Fator.

Em meio a tudo isso, é bom lembrar que martelo batido, mesmo, só no final deste mês, após decisão de Lula. O presidente da República é quem vai definir a decisão nos pleitos municipais que ainda não têm confirmação total. É o caso de BH, em que auxiliares de Fuad Noman (PSD), e o PV, membro da federação PT-PV-PCdoB, ainda tentam levar os petistas para o prefeito.

Leia também:

Psol aciona Justiça por suspensão da lei que criou ‘censo do aborto’ em BH

MP denuncia famílias que adotaram homeschooling em cidade mineira

Justiça vê irregularidade em nomeação no interior de Minas e cita deputado em sentença

Acompanhe O Fator no Instagram

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse