PT quer ação contra aumento de passagem; advogado é ex-deputado e aliado de Zema

Parlamentares argumentam que contrato firmado pela PBH e empresas de ônibus é fraudulento
Parlamentares do PT contra aumento de passagem / Foto: Reprodução

Parlamentares do PT mineiro vão acionar a Justiça estadual, através de uma Ação Popular, pedindo que a portaria que aumentou o valor da passagem de ônibus em Belo Horizonte seja suspensa e, depois, anulada. A Prefeitura de BH anunciou o reajuste de R$ 4,50 para R$ 5,25 na última terça-feira (26).

Assinam a ação, que será protocolada ainda nesta quinta-feira (28), o deputado federal e pré-candidato a prefeito, Rogério Correia, as deputadas estaduais Beatriz Cerqueira e Macaé Evaristo e os vereadores Pedro Patrus e Bruno Pedralva. O PT costuma votar com a base do prefeito Fuad Noman (PSD) na Câmara Municipal, mas, desde outubro, com o plano de lançar Rogério Correia como candidato, houve certo afastamento do executivo, embora alguns cargos do segundo escalão da prefeitura continuem ocupados por indicações petistas.

Na ação, os parlamentares argumentam que o contrato firmado pela PBH e as empresas de ônibus, em 2008, é fraudulento e o aumento não seguiu a legislação prevista.

Fora do texto da petição, um detalhe inusitado: entre os advogados do escritório Simões e Coelho, que assina a peça pelos parlamentares, encontra-se o ex-deputado estadual Bernardo Mucida. Embora filiado ao PSB, Mucida foi base e aliado de primeira hora de Romeu Zema (Novo) na Assembleia e, nos primeiros meses do ano, articulou para integrar algum posto dentro do governo mineiro. Em tempo: o mesmo escritório costuma atender as demandas judiciais do deputado Rogério Correia.

Leia também:

STF vira palco de nova batalha judicial sobre ações de prefeituras contra mineradoras no exterior

A queda de braço entre o PT e o PRD pelo apoio do Republicanos em Contagem

Pontapé inicial do novo PTB em Minas tem Saraiva Felipe, Apolo Heringer e ex-deputados

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse