Tradição e renovação marcam a história da Rede Mater Dei de Saúde

Fundada há mais de 40 anos, rede mineira segue consolidando processo de sucessão com a entrada da terceira geração no comando
Fachada do Mater Dei Unidade Betim Contagem
Hoje a Rede conta com 10 hospitais no Brasil - Crédito: Divulgação Mater Dei

Em junho de 1980, um mineiro conhecido como “Doutor Salvador” inaugurou a primeira unidade do Hospital Mater Dei em Belo Horizonte. Mais de 40 anos depois, no mesmo mês, aquela que se tornou uma das mais tradicionais e robustas redes de saúde privada do País anunciou a entrada da terceira geração da família no corpo diretivo da empresa como mais um importante passo no processo de sucessão familiar na gestão do negócio.

A preparação para este momento vinha ocorrendo há mais de 20 anos e foi desenhada com o apoio da Fundação Dom Cabral (FDC). Uma carta compromisso de estruturação foi assinada no fim dos anos 1990 por José Salvador Silva – o “Doutor Salvador”. À época, nenhum dos netos era adulto. Desde então, alguns se preparam para assumir funções de diretoria, o que ocorreu em meados do ano passado.

A HISTÓRIA

Quem explica é Henrique Moraes Salvador Silva, que ocupou o cargo de CEO da rede por 15 anos e, com a sucessão, tornou-se o chairman da companhia, cargo antes ocupado por seu pai, o “Doutor Salvador”.

“As três gerações seguem atuando fortemente na Rede. Os fundadores, José Salvador Silva e Norma Salvador, continuam ativos. Eu e minhas irmãs, Maria Norma e Márcia, saímos do operacional para o Conselho e os netos assumiram os cargos executivos”, detalha.

Na prática, José Salvador Silva renunciou à Presidência do Conselho aos 92 anos, mas ainda segue no board, porém com menos obrigações diárias. Maria Norma e Márcia Salvador Geo, até então, respectivamente vice-presidentes comercial e assistencial, foram substituídas por Renata Salvador Grande e Felipe Salvador Ligório. Lara Salvador Geo tornou-se diretora e José Henrique Salvador, o novo CEO da rede Mater Dei.

“Todos passaram por um processo muito estruturado e formal antes de assumir essas funções. Fizeram MBA nas principais escolas de negócios do mundo e trabalharam em outros grandes hospitais, requisitos pré-estabelecidos pelo fundador”, garante Henrique Salvador.

Uma trajetória de excelência e preparação para o futuro

Os frutos da estruturação já vinham sendo colhidos, sendo a sucessão familiar apenas mais um dos importantes capítulos da história da Rede mineira, que vem tendo cada vez mais destaque nacional. Nos últimos anos, o grupo ganhou corpo Brasil afora e, atualmente, é composto por 10 hospitais localizados em Belo Horizonte (MG), Salvador e Vitória da Conquista (BA), Goiânia (GO) e Belém (PA).

Em Minas, temos as seguintes unidades:

  • Hospital Mater Dei Santo Agostinho
  • Hospital Mater Dei Contorno
  • Hospital Mater Dei Betim-Contagem
  • Hospital Mater Dei Santa Genoveva
  • CDI Imagem
  • Hospital Mater Dei Santa Clara

Sendo que a próxima será inaugurada, dentro de poucos meses, em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).

PÉ NO ACELERADOR

O ritmo de expansão se acelerou a partir de 2021, quando a empresa abriu capital e levantou R$ 1,4 bilhão para investimentos. Apenas neste novo hospital em Nova Lima, estão sendo aportados R$ 230 milhões para a construção de 120 leitos e toda uma estrutura complementar.

Outro grande anúncio ocorreu no fim do ano passado: a chegada da rede a São Paulo, por meio de uma parceria com o Bradesco (ver matéria completa ao final desta nota). Com investimentos na ordem de R$ 600 milhões, o novo hospital ocupará uma área de 45 mil metros quadrados e terá aproximadamente 250 leitos individuais, além de salas de cirurgia e parque tecnológico para exames de imagem.

Outro movimento importante foi a compra do controle da empresa de tecnologia A3Data, especializada em soluções de coleta, análise de dados e inteligência artificial para o segmento de saúde. Com essa aquisição, a Rede acelera seu processo de transformação digital com tecnologias para tornar seus processos mais eficientes, que também serão oferecidas à outras empresas do setor.

Leia Mais Sobre Outra Grande Empresa Mineira:

Mas o crescimento do Mater Dei não deve parar por aí. Embora não esteja mais a frente do operacional, Henrique Salvador revela que a Rede pretende ser a principal plataforma consolidada de hospitais do Brasil. Hoje, já é a terceira em número de leitos: 2.500 no total.

Já sob o ponto de vista financeiro do negócio, no terceiro trimestre de 2023, a Rede acumulava R$ 1,7 bilhão em receitas, Ebitda de R$ 413 milhões e lucro líquido ajustado de R$ 167 milhões.

“Enxergamos novas oportunidades para comprar ou construir. Também pretendemos estreitar algumas parcerias importantes com operadoras de saúde, aos moldes do que fizemos com o Bradesco para o hospital de São Paulo”, revela.

O Legado do Dr. Henrique Salvador para o Mater Dei

Homem de terno azul com a mão no bolso - presidente do Conselho do Mater Dei
Henrique Salvador diz que não pretende deixar de contribuir para o crescimento da Rede, especialmente no que se refere a novas oportunidades de negócios – Crédito da Foto: Divulgação Mater Dei

A construção de uma base sólida para o crescimento da Rede teve início em 1980 com a inauguração de seu primeiro hospital, o Mater Dei Santo Agostinho. Com foco no setor privado, a unidade acompanhou o crescimento do segmento de saúde suplementar no País.

Liderando as transformações, como a expansão da Rede para outras cidades de Minas Gerais e do Brasil, uma figura primordial: Henrique Moraes Salvador. Ou apenas, Dr. Henrique Salvador.

Formado em medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), fez residência em ginecologia e obstetrícia no Hospital Mater Dei e no Hospital Alberto Cavalcanti, ambos em Belo Horizonte. Além disso, Salvador também é especialista na área de mastologia e ginecologia no Guy’s Hospital (Inglaterra), na University of Pittsburgh (Estados Unidos) e no Instituto Nazionale Per Lo Studio de 1ª Cura Del Tumore (Itália). Também possui especialização em reprodução humana na Universidade de Erlangen (Alemanha) e na Universidade de British Columbia (Canadá).

Mas não só. O médico possui mais de 300 publicações e 12 livros lançados, e já recebeu vários prêmios e condecorações. Além disso, ocupou e ocupa cargos importantes na área, entre eles, ex-presidente e atual conselheiro da Associação Nacional de Hospitais Privados (ANAHP), desde 2019; membro da Academia Mineira de Medicina, desde 2010; ex-Presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia; professor livre docente de Ginecologia pela Fundação Dom André Arcoverde-RJ e membro do Conselho Curador da Fundação Dom Cabral (FDC). Foi também diretor técnico e clínico da Rede Mater Dei de Saúde, de 1986 a 2011, e exerceu a função de diretor-presidente da companhia entre 2011 e 2023.

O FUTURO É AGORA

Mesmo tendo deixado o operacional do Mater Dei há alguns meses, aos 65 anos de idade, dos quais 40 dedicados à medicina, Dr Henrique Salvador revela que não pretende deixar de dar suas contribuições ao crescimento da Rede, especialmente no que se refere a novas oportunidades de negócios.

“Eu sempre vivi uma vida profissional muito intensa. Por muitos anos exerci apenas a medicina, depois atuei como CEO e diretor clínico da rede. Também tive uma atividade associativa muito intensa como presidente de associações importantes e produzi muito cientificamente. Agora, no Conselho, atuarei de forma totalmente estratégica na busca por oportunidades e por recursos humanos e intelectuais, para que tenhamos posições estratégicas de negócios e de mercado”, garante.

Para isso, frisa que se sente muito produtivo e ativo, e que os momentos de lazer em família sempre fizeram parte de sua estratégia para tanto vigor. Especialmente em sua fazenda em Inhaúma, na região Central do Estado, ao lado dos netinhos Olívia, Lygia, Sylvia, Antônia, Henrique, João e Rafaela.

Leia também:

Presidente da Assembleia cobra apoio da União por liminar sobre dívida de Minas

Desembargador mantém competência de Belo Horizonte em recuperação judicial do Grupo Coteminas

Apologia a atos terroristas pode render multa de até R$ 20 mil em BH

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse