Tragédia de Mariana: julgamento em Londres entra em nova fase

Justiça do Reino Unido analisa o processo movido por 700 mil atingidos pelo rompimento da barragem
Bento Rodrigues, distrito de Mariana, foi destruído pelo mar de lama que desceu da barragem do Fundão
Tragédia destruiu distritos de Mariana e atingiu o Rio Doce. (Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

O julgamento do rompimento da barragem do Fundão, em Mariana, na Região Central de Minas Gerais, que acontece na Inglaterra, entra em sua fase final. A Justiça Inglesa marcou para a próxima semana novas audiências, chamadas de Gerenciamento de Caso, que têm o objetivo de discutir a condução do litígio, cronograma de julgamentos e solicitações de documentos.

Essa é uma etapa de preparação para o julgamento que vai determinar se as mineradoras Vale e a BHP Billinton, controladoras da Samarco, têm responsabilidade pelo colapso. A tragédia de Mariana aconteceu em 2015, matando 19 pessoas, destruindo distritos, e provocando os maiores danos ambientais do país.

O julgamento está marcado para 7 de outubro deste ano e deve durar 14 semanas. Na próxima semana, as sessões acontecem em 18 e 19 de abril. Vão participar das audiências os advogados das mineradoras e o escritório de advocacia Pogust Goodhead, que representa as vítimas nos tribunais.

O processo é movido por 700 mil atingidos que pedem indenização R$ 230 bilhões das mineradoras Vale, BHP Billinton, e Samarco.

Leia também:

MDB presta solidariedade a deputado mineiro condenado por corrupção e confia em reversão de sentença

Fávaro vai à Câmara explicar fiasco no leilão de arroz

Cassinos voltam à mesa da CCJ do Senado

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse