Exclusivo: drama na divisa de BH e Nova Lima perto do fim

Só quem sofre com o trânsito do local sabe a importância de uma obra estruturante na região
Local onde a populacao do Belvedere e do Vila da Serra quer um parque, mas empreendedores e Prefeitura de Nova Lima tem ideia de fazer uma avenida, acompanhando o caminho da linha ferrea
Área da possível e esperada intervenção viária / Foto: Associação dos Amigos do Bairro Belvedere

Ao que parece, finalmente, os astros estão se alinhando – neste caso, leia-se agentes políticos – e um drama antigo, mas cada vez pior, que é o trânsito caótico na divisa de Belo Horizonte e Nova Lima (região dos bairros Vale do Sereno e Vila da Serra), está prestes a ser resolvido, libertando de uma vez por todas milhares de moradores, trabalhadores e pessoas que buscam as escolas, os hospitais e o comércio, ou mesmo quem apenas passa pelo local, dos congestionamentos bizarros a que são submetidos diariamente.

Uma reunião realizada entre o prefeito de BH, Fuad Noman (PSD), e o prefeito de Nova Lima, João Marcelo (Cidadania), ocorrida na última terça-feira (16), deu parecer positivo a um projeto debatido e aguardado, há anos, pelos moradores das duas cidades, e também por quem vem de Rio Acima, Honório Bicalho e outros municípios e bairros em direção à capital mineira.

ENTENDA

A atual via férrea do Vale do Sereno deverá dar lugar a um corredor de trânsito que não apenas eliminará o gargalo atual, mas revitalizará a área verde degradada ao seu entorno – hoje, palco de incêndios, lixo e pequenas invasões – ampliando, significante, inclusive, o chamado “parque linear”, justa e legitimamente defendido pelos moradores do Belvedere.

Até essa reunião, a Prefeitura de Belo Horizonte apresentava algumas ressalvas à ideia, mas O Fator apurou que o prefeito Fuad Noman foi finalmente convencido, concordando com os pontos revistos. Já o prefeito de Nova Lima, João Marcelo, não apenas apoiou o projeto – algo que já ocorria anteriormente -, como eivou todos os esforços no sentido de acertar com BH os possíveis pontos conflitantes.

PRÓXIMOS PASSOS

O terreno que receberá a intervenção deverá ser cedido pela União (hoje, encontra-se sob litígio na Justiça Federal) e todo o espaço não destinado às obras viárias será utilizado para o parque, possivelmente sob gestão da Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig). O Fator apurou, também, que, de Brasília, os prefeitos já receberam sinalização positiva.

Agora, as próximas reuniões deverão ocorrer no âmbito do Centro de Autocomposição de Conflitos e Segurança Jurídica (COMPOR) do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), iniciativa do atual Procurador-Geral de Justiça do Estado, Dr. Jarbas Soares Jr.

O órgão é conhecido e respeitado por sua estrutura altamente técnica, e por diminuir em cerca de 70% o tempo de resolução dos conflitos, trazendo não só agilidade e segurança jurídica para os envolvidos, como enorme economia processual e diminuição significativa dos prejuízos causados pela demora.

OUTROS TEMAS

A reunião entre Fuad Noman e João Marcelo não tratou apenas da via férrea e do trânsito infernal da região, mas também de outras pautas importantes que envolvem as duas cidades, dentre elas, o complexo imobiliário conhecido como Himalaya, provisoriamente paralisado por questões relativas à contrapartidas e outros detalhes técnicos.

Este empreendimento, por seu grande porte e importância financeira, deverá impactar – caso autorizado pelo Poder Público – significativamente a economia das duas cidades, gerando não somente empregos e circulação de renda, mas importante atração de investimentos e turismo de negócios. 

Ao todo, prevê-se quatro intervenções viárias na região. No caso da via férrea, BH e NL irão arcar com os respectivos custos de seus limites geográficos. Já no caso do Himalaya, a previsão é de que ambas as cidades dividam os custos.

COMENTO 

Ainda é cedo, eu sei, para estourar o champanhe e comemorar, mas a notícia acima é simplesmente maravilhosa! Só quem sofre com o trânsito do local sabe da importância desta obra. E não falo, aqui, dos “ricos dos condomínios”, não. Falo de trabalhadores simples que passam duas, três horas por dia, presos nos congestionamentos. 

Falo de pais de bebês, que levam horas para chegar a um hospital da região e conseguir atendimento. Falo de idosos que precisam de uma ambulância, que não consegue entrar ou sair do Vale do Sereno, ou mesmo cruzar a fronteira das duas cidades. Falo, também, da revitalização e da preservação de uma área linda e importante para a região, o chamado Parque Linear, hoje, completamente degradado, sujo, queimado e invadido.

Falo, por fim, de desenvolvimento (sustentado e planejado) econômico, com mais empregos, renda e arrecadação de impostos. Na boa, quem pode, em sã consciência, desde que desprovido de pré-conceitos arcaicos, retrógrados e altamente ideologizados, reclamar de algo assim?

Parabéns, prefeitos Fuad Noman e João Marcelo! Parabéns, MPMG e todos os demais envolvidos. Se essa obra sair, prometo ficar sem reclamar de vocês por duas semanas, hehe.

P.S.: Aos demais veículos de comunicação que forem reproduzir essa notícia que trazemos com exclusividade: dessa vez, por favor, sejam bonzinhos e nos deem o devido crédito, ok?

Leia também:

STF vira palco de nova batalha judicial sobre ações de prefeituras contra mineradoras no exterior

A queda de braço entre o PT e o PRD pelo apoio do Republicanos em Contagem

Pontapé inicial do novo PTB em Minas tem Saraiva Felipe, Apolo Heringer e ex-deputados

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse