Fuad Noman: cercado por tanto amor, a cura é garantida

Fuad tem esposa, filhos, netos, parentes, admiradores, amigos. É um homem amado, portanto
Fuad tem esposa, filhos, netos, parentes, admiradores, amigos. É um homem amado, portanto
Lutar, lutar, lutar (Foto: Arquivo Pessoal)

Sou pai de uma menina, ou melhor, uma moça. Tenho de me acostumar com isso, afinal, já tem 18 anos. É filha única, e desde janeiro está morando fora do País. A dor da saudade só não é maior que o regozijo da satisfação em vê-la crescer tão bem assim.

Há alguns meses, eu e sua mãe estávamos com ela, na casa dela, na cama dela. E como sempre, ela, entre nós dois, recebendo beijos duplos nas bochechas. “Surrounded by love” (cercada por amor), ela nos disse. Putz! Como entendo esse sentimento.

Se amar é minha especialidade, trocar afeto é uma necessidade. Amo quem quero, da maneira que sei, com a frequência e intensidade que posso. E acho que devo isso a sempre ter sido (ou me sentido) … “surrounded by love”. Cercado por amor.

Fuad Noman

Conheci o prefeito de Belo Horizonte através de amigos em comum, em eventos sociais. Eu gostava da trajetória dele e ele gostava de me ler, à época, no Estado de Minas. Um dia, “chutei sua canela” numa coluna. Ele não gostou. Conversamos.

Ponteiros acertados, falamos sobre tudo. Política, filhos, carreira (ele foi um dos responsáveis pela implantação do Plano Real) e… Galo! O que o Atlético une, não há texto crítico que separe. Nos meses seguintes, nos aproximamos.

A Arena MRV foi o fio condutor. De um lado, um prefeito – além de atleticano fanático – entendendo a importância de um equipamento destes para a cidade. Do outro, um Clube e o sonho da merecida casa própria. No meio, alguém (eu) querendo ajudar.

Freud na Área

Nunca me senti “abandonado” pelo meu pai ou sem a tal “referência paterna”. Ao contrário. Porém, sempre fui perdidamente apaixonado e ligado à minha mãe. Mas não farei deste espaço uma sessão pública de terapia. Deixo para o Leo, uma vez por semana.

Fuad me lembra meu avô paterno, por isso a referência acima. Era também um atleticano fanático. Nasci em Brasília e o prefeito, por lá, viveu muitos anos. Noves fora nada, juntando os cacos primevos, me afeiçoei ao senhor de bigode branco e suspensório.

O bom da idade (57) e da independência é não ter medo de se expor. Sim. Gosto muito do prefeito. E também de outros políticos locais, adversários dele, ou não: Gabriel Azevedo, Fernanda Altoé, Sergio Fernando, Bruno Miranda, Mateus Simões. Algum problema?

Surrounded by Love

Nesta quinta-feira (4), Fuad declarou publicamente que retirou – com sucesso! – um tumor maligno, e que está em tratamento quimioterápico. Nada que impeça ou comprometa, segundo os médicos, seu trabalho como prefeito. E como torcedor do Galo.

Durante o comunicado, na PBH, em um salão lotado, o semblante das pessoas – próximas ou não, íntimas ou não – misturava tristeza, preocupação, compaixão, admiração. Mas me impressionou o carinho que todos ali demonstravam pelo prefeito.

Fuad tem esposa, filhos, netos, parentes, admiradores, amigos. É um homem amado, portanto. “Surrounded by love”. Não inventaram melhor remédio neste mundo. Cercado por tanto amor, a cura é garantida. Saúde, prefeito!

Leia também:

Psol aciona Justiça por suspensão da lei que criou ‘censo do aborto’ em BH

MP denuncia famílias que adotaram homeschooling em cidade mineira

Justiça vê irregularidade em nomeação no interior de Minas e cita deputado em sentença

Acompanhe O Fator no Instagram

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse