Agro realiza audiência sobre recaptura de Raposa Serra do Sol

Com a retomada do marco temporal, meta agora é reocupar a terra-símbolo do debate
Terra indígena Raposa Serra do Sol
Raposa Serra do Sol: a luta do agro agora é retomar dos indígenas. Foto: Mário Vilela/Funai

A Comissão de Agricultura da Câmara realiza na manhã desta terça (2) audiência com o tema “Reversão das regiões de Raposa Serra do Sol que produziam arroz”.

A terra indígena Raposa Serra do Sol, em Roraima, está na origem do “marco temporal” original – posteriormente distorcido pela bancada do agro.

Em 2008, o então ministro do STF Ayres Britto definiu que “o marco temporal da ocupação” assegurava aos povos indígenas a demarcação contínua da reserva, dado o tempo verbal em artigo importante da Constituição.

O artigo 231 define que são “reconhecidos aos índios (…) os direitos originários sobre as terras que tradicionalmente ocupam”.

Escreveu Ayres Britto: “Terras que tradicionalmente ocupam , atente-se, e não aquelas que venham a ocupar” (grifo no original).

Originalmente, a ideia foi usada por Britto em favor da causa indígena, mas depois veio a ser usada pela bancada do agro para argumentar que as terras não demarcadas em ’88 não poderiam sê-lo nunca mais.

Em 2023, reportagem importantíssima de O Globo mostrou que os constituintes discutiram um “marco temporal” – e o derrubaram. O então senador Jarbas Passarinho mudou o texto de “onde se acham permanentemente localizados” por “as terras que tradicionalmente ocupam” justamente para impedir “a expulsão ou perda do direito à terra pelas comunidades indígenas, inclusive prejudicando irreversivelmente aquelas já vitimadas por processos de transferência forçada”.

No fim do ano passado, o Congresso derrubou o veto de Lula ao marco temporal deles, embora a tese já tivesse sido derrubada pelo STF.

O próximo passo é apenas natural: reverter a expulsão dos arrozeiros no lugar mais simbólico do marco temporal.

Na lista de convidados da audiência não há nenhum representante de organização indígena.

Leia também:

Psol aciona Justiça por suspensão da lei que criou ‘censo do aborto’ em BH

MP denuncia famílias que adotaram homeschooling em cidade mineira

Justiça vê irregularidade em nomeação no interior de Minas e cita deputado em sentença

Acompanhe O Fator no Instagram

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse