Convencimento, empresários e vira-casaca: bastidores do evento de Lula em Contagem

O Fator acompanhou de perto a cerimônia realizada nesta quinta-feira
Agenda de Lula em Contagem registrou bastidores interessantes. Foto: Ricardo Stuckert / PR
Agenda de Lula em Contagem registrou bastidores interessantes. Foto: Ricardo Stuckert / PR

A passagem de Lula por Contagem, nesta quinta-feira (27), marcou cenas e bastidores interessantes envolvendo a política local e regional. O Fator acompanhou o evento realizada por Marília Campos (PT) e destaca o que apurou de principal:

AS MENSAGENS DE MARÍLIA
O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD), por pouco não participou do evento em Contagem. No plano inicial, o senador não iria à cerimônia e se encaminharia direto para uma reunião com o presidente da ALMG, Tadeu Martins Leite (MDB), para tratar sobre o Propag e o RRF. Quando soube da agenda de Pacheco, a prefeita Marília Campos (PT) enviou mensagens reforçando o convite. Sugeriu que ele devesse sair um pouco de Brasília, e que, para um possível candidato ao Governo de Minas, seria importante estar presente. Pacheco cedeu.

CONVITES
A presença de vários empresários na solenidade com o presidente Lula também teve o empenho direto da prefeita de Contagem. Atenderam ao seu convite o vice-presidente da MRV, Raphael Lafetá; o dono da rede de Supermercados BH e Sócio-majoritário da SAF do Cruzeiro, Pedro Lourenço — que presenteou Lula, a primeira-dama Janja Lula da Silva, e a prefeita Marília com uma camisa do Cruzeiro — e Mário Valadares, dono dos Shoppings Oiapoque e do grupo empresarial Só Marcas, entre tantos outros.

“COMPANHEIRO” MÁRIO VALADARES
Lula se lembrou do seu último encontro com o empresário Mario Valadares, em um evento de pré-campanha, em 2022. Á época, ao lado do então pré-candidato, Valadares falou da prosperidade dos seus negócios durante os dois primeiros mandatos do petista. Ontem Lula o convidou ao palco e “dividir” com ele o discurso. O empresário reiterou toda sua prosperidade e disse ao presidente que já avisou seus filhos que 50% da sua herança será destinada à educação de jovens de periferia. Lula então brincou: “Achei que você iria dizer que vai me colocar no seu testamento”.

SEM POLARIZAÇÃO
Também teve o empenho direto da prefeita de Contagem o convite enviado à Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG). Tendo-os como “bolsonaristas”, o cerimonial da Presidência da República não previu a presença de seus representantes e resistia à ideia de convidá-los. Mineiramente, Marília disse da sua relação com a federação, das parcerias que foram celebradas com o município. O presidente da FIEMG, Flávio Roscoe, não pode comparecer foi por causa de uma viagem anteriormente agendada. Mas representando a FIEMG esteve o vice-presidente, Fábio Sacioto.

QUEM NÃO É VISTO NÃO É LEMBRADO
Observadores mais atentos notaram a ausência do ex-prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD). Candidato apoiado pelo presidente Lula ao Governo de Minas nas eleições de 2022, Kalil não figurou na lista de convidados de nenhum dos cerimoniais, o da Prefeitura de Contagem e o da Presidência da República.

CHARMINHO
Recentemente em uma entrevista, Kalil falou que após as eleições ele e Lula nunca mais se falaram. Interlocutores do PSD de Minas sugerem que o ex-prefeito também não procurou o presidente. Ele fica aguardando ser “cortejado” por Lula. Com adversidades em série em seu 3º mandato, será muito difícil que Lula, por agora, faça qualquer massagem no ego do ex-prefeito.

FEZ O ‘L’ !?
Nos minutos que antecederam o início da solenidade, deputados federais e estaduais confraternizavam, do palco, com o público presente. Em certo momento, todos pousaram para a foto fazendo o “L” de Lula, gesto icônico com o dedo indicador e o polegar. O gesto feito por um deles chamou a atenção: do deputado federal Igor Timo (Podemos), apoiador de Jair Bolsonaro, que exibe com o ex-presidente em suas redes sociais. Mas atualmente Igor Timor é um dos 15 vice-líderes do governo na Câmara dos Deputados.

ESQUECIDO
Na lista de anúncios feitos por Lula durante o evento, ele se esqueceu de um: a retirada da CeasaMinas do Plano Nacional de Desestatização, como O Fator adiantou nesta quinta que ele faria. O anúncio já estava preparado e acertado, mas o presidente não mencionou, gerando estranheza à equipe política do Planalto. O reparo foi feito pelo petista nesta sexta (28) pela manhã, em entrevista à Rádio O Tempo, em que confirmou ter esquecido do fato.

Leia também:

Para se dedicar à campanha em Contagem, Junio Amaral se licencia do mandato de deputado federal

Justiça determina bloqueio de R$ 137 mil de influencer que fez ‘caça ao tesouro’ na Praça do Papa

MPF quer suspender atividades da Vale em empreendimento na Cava da Divisa

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse