Deputado sobe ao púlpito do plenário da ALMG para defender que população reaja a assaltos

Caporezzo (PL) já se envolveu em outras polêmicas. Chegou a criticar a escolta recebida pela deputada Bella Gonçalves (Psol)
Deputado Caporezzo (PL) durante sessão ordinária na ALMG
Caporezzo costuma utilizar o púlpito em pautas ligadas a segurança pública. (Foto: Guilherme Dardanhan / ALMG)

O deputado estadual Cristiano Caporezzo (PL) utilizou o microfone durante sessão plenária da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), nesta quarta-feira, para sugerir que a população reaja a assaltos, contrariando as recomendações das forças de segurança e princípios de consenso em nível mundial.

Em sua fala, que durou aproximadamente 3 minutos e 40 segundos, o parlamentar contou casos em que agressores e assaltantes acabaram agredidos. Chegou a dizer que uma das coisas mais lindas que ele já viu foi a cena de um casal dando socos e chutes em um homem que tentou assaltá-los.

Em seguida, incentivou a população a fazer o mesmo. “Sempre tiver oportunidade, pensando na defesa da sua vida, que é uma excludente de ilicitude, reaja sim. Senta o braço no bandido sem dó”, afirmou. “Nós não podemos tolerar a criminalidade. E quando a polícia não está presente, devemos agir sempre que possível”, completou.

A fala vai de desencontro com o recomendado por especialistas de segurança pública e as próprias forças de segurança. A Polícia Militar (PM) recomenda às pessoas que estão prestes a serem assaltadas ou que foram vítimas dos criminosos, que não reajam. Ela deve guardar os traços físicos, sinais particulares e roupas dos infratores para, em seguida, repassar aos policiais militares.

Na última semana, um motociclista, fez o “recomendado” pelo deputado, acabou baleado em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Com um capacete em mãos, tentou agredir dois homens que assaltavam um motorista de um carro. O suspeito reagiu e atirou contra o homem.

Leia também:

Fávaro vai à Câmara explicar fiasco no leilão de arroz

Cassinos voltam à mesa da CCJ do Senado

Justiça suspende atividades de mineradora na Serra do Curral em Belo Horizonte

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse