Briga interna: PT suspende ex-prefeito que queria disputar eleição em Betim

Jésus Lima promete recorrer de decisão que o afastou por 90 dias das atividades partidárias
O ex-prefeito de Betim, Jésus Lima, posa para foto com Lula
Jésus Lima promete recorrer de afastamento das instâncias internas do PT. Foto: Redes Sociais/Reprodução

O diretório do PT de Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, aprovou a suspensão dos direitos políticos internos do ex-prefeito da cidade, Jésus Lima. Com a decisão, Jésus, que deseja disputar a prefeitura na eleição de outubro, fica impossibilitado de se manifestar em nome do PT ou de participar das instâncias de debate e decisão da legenda. A suspensão, decidida na terça-feira (25), tem 90 dias de duração.

No texto que oficializa a sanção, a Comissão Executiva do PT de Betim diz que Jésus vem agindo com “hostilidades”. O documento ainda fala em “atitudes desrespeitosas e ofensas reiteradas a dirigentes e lideranças partidárias”. De acordo com a publicação, as ações do ex-prefeito estariam “causando prejuízos à imagem da legenda e seus filiados”.

Jésus entrou em rota de colisão com o próprio partido depois de ter sua pré-candidatura à Prefeitura de Betim retirada. Em abril, o PT chegou a homologar a pré-candidatura, mas, pouco depois, a legenda, que compõe uma federação com PV e PCdoB, decidiu acompanhar a candidatura do ex-vereador Vinícius Resende (PV) ao poder Executivo municipal.

A O Fator, Jésus disse que Vinícius teria sido “enxertado” no PV em uma articulação envolvendo a ex-prefeita petista Maria do Carmo Lara e a tesoureira do diretório nacional do PT, Gleide Andrade. Na semana passada, a um jornal local, ele chegou a acusar a direção petista de abrigar um grupo que tentou matá-lo em 1997, quando era prefeito e foi alvejado por disparos de arma de fogo.

““Fica muito difícil caminhar com alguém que traz a sombra daqueles que atentaram contra a minha vida”, disse.

Promessa de recurso

O ex-prefeito prometeu recorrer, junto à direção estadual do PT, da decisão da Executiva municipal. Segundo ele, o processo que culminou na suspensão foi conduzido “à toque de caixa”, desconsiderando prazos previstos no estatuto da agremiação.

“Foi quase um AI-5. A ditadura acabou em 1985”,  comparou.

Jésus afirmou, ainda, que vai manter a pré-candidatura. “Vou continuar debatendo a cidade. A decisão sobre minha candidatura agora cabe ao diretório nacional, que realizará uma reunião no dia 15 de julho”.

A reportagem acionou o PT em Betim para comentar a decisão sobre Jésus. A direção municipal da legenda, porém, preferiu não se posicionar. Gleide Andrade também foi procurada. Se houver resposta, este texto será atualizado.

Leia também:

Psol aciona Justiça por suspensão da lei que criou ‘censo do aborto’ em BH

MP denuncia famílias que adotaram homeschooling em cidade mineira

Justiça vê irregularidade em nomeação no interior de Minas e cita deputado em sentença

Acompanhe O Fator no Instagram

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse