Ciclovia da Afonso Pena é novo round entre Fuad e Gabriel

Presidente da Câmara Municipal, vereador Gabriel, quer a suspensão das obras e investigação por mau uso de dinheiro público
Projeção do projeto de implementação da ciclovia na Avenida Afonso Pena. Obras fazem parte do Programa Centro de Todo Mundo, da Prefeitura de Belo Horizonte
Obras para implementação da ciclovia começaram no início deste ano (FOTO: PBH/Divulgação)

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) analisa uma representação apresentada pelo presidente da Câmara Municipal de Belo Horizonte, vereador Gabriel (Sem partido), que pede a suspensão da obra de construção de ciclovia na Avenida Afonso Pena.

No mesmo documento, o chefe do Legislativo também solicita a apuração de possível mau uso do dinheiro público pelo prefeito Fuad Noman (PSD).

Entenda

A obra teve início em 12 de janeiro ao custo de R$ 24,8 milhões. A ciclovia a ser implantada será de duas pistas e se estenderá da Praça Rio Branco, no Centro, até a Praça da Bandeira, no Mangabeiras. 

Gabriel afirma que o traçado da obra “não foi pensado em uma lógica benéfica à cidade nem aqueles que utilizarão a bicicleta.” O motivo seria um desnível de 152 metros entre as extremidades. 

O FATOR entrou em contato com a Prefeitura de Belo Horizonte e aguarda um posicionamento sobre o caso.

Pitaco do Kertzman: Gabriel é ciclista e entende como poucos sobre arquitetura e mobilidade urbana. Fuad é gestor técnico de primeira e totalmente comprometido com a cidade. Ao invés de unirem forças, infelizmente, mantêm antagonismo politico. A cidade perde e a população paga a conta. Que pena.

Leia também:

A difícil articulação para Álvaro Damião ser o vice de Fuad

Futebol e Política, juntos, podem fazer um mundo melhor

Quero um amor; um amor maior que eu

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse