O valor das diárias de Fuad no Brasil

Tabela com os custos diários de hospedagem foi divulgada pela prefeitura de Belo Horizonte
Prefeito Fuad Noman durante prestação de contas na Câmara Municipal de Belo Horizonte
Prefeito Fuad Noman estipulou teto de diárias a serem gastas por servidores (FOTO: Cláudio Rabelo / CMBH)

Quando o prefeito Fuad Noman (PSD) for à Brasília cobrar do Governo Federal as demandas necessárias para Belo Horizonte, ele não poderá se hospedar em hotéis que cobram mais do que R$ 330 a diária. Esse é o teto de gastos estipulado para viagens à capital federal.

Se for a outra capital do Brasil, o valor máximo a ser desembolsado pelo prefeito poderá ser de R$ 280. Já para outros municípios, Fuad poderá gastar até R$ 230. As regras estão em decreto publicado na edição desta terça-feira do Diário Oficial do Município (DOM).

Os demais membros da direção superior municipal, ou seja, os secretários, têm um valor menor. Eles podem gastar R$ 280 para se hospedar em Brasília, R$ 230 nas capitais e R$ 180 nas outras cidades. Já os diretores, gerentes, chefes e demais agentes públicos poderão gastar, respectivamente, R$ 230, R$ 180, e R$ 130.

Pitaco do Kertzman: Olhem aqui, economia é bom e eu gosto! Mas, na boa, com esses valores, Fuad não conseguirá dormir no Ibis (com o respeito que a rede de hotéis de baixo custo me merece). Lembrando que teve prefeito, recentemente, hospedando-se a exaustão no Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, mandando a conta para um fornecedor da PBH e do clube de futebol que dirigiu. Alô, prefeito: tenho uns dois ou três ótimos amigos em BSB que irão receber o senhor com o maior carinho em casa, caso precise pernoitar por lá. Principalmente se tiver jogo do Galo na TV.

Leia também:

Ex-deputado Narcio Rodrigues vira réu por suposto desvio em convênio em MG

A viagem de José Dirceu a Belo Horizonte

MPF vai investigar invasões e ameaças contra indígenas Pataxó em MG

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse