Mateus Simões se reúne com Rodrigo Pacheco para discutir dívida de Minas

O estado de Minas Gerais tem uma dívida de aproximadamente R$ 160 bilhões com a União
O vice-governador de Minas Gerais, Professor Mateus, durante workshop Minas Day, na COP28, em Dubai, nos Emirados Árabes
Simões conduz equipe técnica do Governo de Minas que negocia a dívida. (Foto: Imprensa MG / Divulgação)

A dívida bilionária de Minas Gerais com a União volta a ser discutida nesta semana em Brasília. O vice-governador do Estado, Mateus Simões (Novo), se reúne, nesta quinta-feira, com o presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco (PSD), que vem conduzindo as conversas com os governadores e o Governo Federal.

Por meio de nota, o Governo de Minas afirmou que Simões vem conduzindo a equipe técnica responsável pela renegociação de dívida e, por isso, irá representar o estado. Também participam do encontro membros da Secretaria de Estado de Fazenda, incluindo o secretário Luiz Claudio Gomes, e da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão.

Na última segunda-feira, Rodrigo Pacheco disse que convocaria uma reunião com o governador Romeu Zema (Novo), e depois com outros governadores, para discutir a proposta do Governo Federal. O presidente do Congresso quer um consenso entre todos os entes para enviar o projeto para a análise de deputados e senadores.

“Que seja um projeto do governo federal, aceitável pelos estados. Eu pedi que pudéssemos precipitar isso. Um prazo muito longo para a definição desse modelo é algo que acaba sacrificando os estados”, disse Pacheco em entrevista após encontro com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT).

O governo federal já apresentou uma proposta para que estados tripliquem o número de matrículas no ensino médio técnico no Brasil em troca de uma redução dos juros das dívidas cobradas das unidades federadas.

Leia também:

Servidora é presa após mentir sobre falso câncer e receber R$ 656 mil do Estado

Justiça proíbe Prefeitura de Ouro Preto de realizar contratações temporárias

Ministério e deputados montam força-tarefa para acompanhar denúncias feitas por terceirizados da educação em BH

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse