Novo se descola de Bolsonaro, ao menos nas eleições municipais

Vice-governador Mateus Simões (Novo) diz que candidatos de seu partido não necessariamente serão ligados a Jair Bolsonaro
O governador de Minas Gerais, Romeu Zema e o presidente da República, Jair Bolsonaro, durante encontro de trabalho em Belo Horizonte
Zema e Bolsonaro convergem em pautas ligadas a direita. (Foto: Isac Nóbrega/PR)

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, do Novo, é o principal nome do partido, e, até, uma das apostas da direita para a presidência da República em 2026. Já pensando nesse eleitorado, em diversas ocasiões, cumpriu agendas ao lado do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Porém, nas eleições municipais a sigla deve descolar, ao menos um pouco, do ex-mandatário.

Foi o que afirmou o vice-governador do Estado, Mateus Simões (Novo), em entrevista ao jornal OTempo. Ele também garantiu que o partido não vai apoiar siglas de esquerda.

“Novo é um partido de direita e, portanto, não estará junto com o PT, nem o Psol, PCdoB, nas eleições. Isso não significa que os nossos candidatos são os candidatos do presidente Bolsonaro. Posso dar vários exemplos em que isso é bem evidente. Por exemplo, Belo Horizonte nós temos um nome colocado na disputa, da secretária Luisa Barreto, e o presidente Bolsonaro tem outro nome colocado, o do nosso deputado da base do governo, Bruno Engler”, explicou.

O Novo pretende disputar aproximadamente 100 prefeituras em todo estado mineiro. Em alguns municípios, porém, a sigla vai se alinhar a candidatos com apoio de Bolsonaro. Como em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, onde o deputado Júlio Amaral deve concorrer à prefeitura.

Leia também:

STF vira palco de nova batalha judicial sobre ações de prefeituras contra mineradoras no exterior

A queda de braço entre o PT e o PRD pelo apoio do Republicanos em Contagem

Pontapé inicial do novo PTB em Minas tem Saraiva Felipe, Apolo Heringer e ex-deputados

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse