ReciclaBelô: menos 30 toneladas de lixo nas ruas no Carnaval de BH

Ministério Público de Minas Gerais investiu R$ 592 mil no projeto. Recurso é proveniente de medidas compensatórias ambientais
Projeto contemplado pelo Ministério Público de Minas Gerais, o ReciclaBelô retirou das ruas 30 toneladas de materiais recicláveis
Catadores receberam remuneração diária nos dias de folia na capital mineira (FOTO: Maurício Costa/Eu na Foto)

“Projetos como este unem os benefícios para a população vulnerável e o meio ambiente”. Foi assim que o promotor coordenador do Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente (Caoma), Carlos Eduardo Ferreira Pinto, descreveu o ReciclaBelô. O projeto conseguiu retirar das ruas no Carnaval 30 toneladas de materiais recicláveis.

De 10 a 13 de fevereiro, o projeto envolveu mais de 240 catadores, que receberam kits com equipamentos de proteção individual (EPI) e tiveram à disposição água, alimentação, áreas de descanso e acesso exclusivo a banheiros nesses pontos de apoio. Eles puderam utilizar três pontos de referência na capital: no Centro, na Savassi e no Bairro Santa Tereza.

O projeto foi contemplado pelos promotores de Justiça com atuação na área ambiental, do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio da Plataforma Semente. Foram investidos R$ 592 mil, recurso proveniente de medidas compensatórias ambientais. A iniciativa foi idealizada por associações de catadores.

Além do material de trabalho, os catadores receberam, a cada 30 quilos de material coletado, uma remuneração diária de R$ 150, somada à própria venda dos recicláveis nos dias de festa.

Após separado, o material recolhido pelos catadores deverá ser transformado pela indústria da reciclagem.

Leia também:

Ex-deputado Narcio Rodrigues vira réu por suposto desvio em convênio em MG

A viagem de José Dirceu a Belo Horizonte

MPF vai investigar invasões e ameaças contra indígenas Pataxó em MG

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse