Sistema de governança para ações de limpeza da Lagoa da Pampulha

Essa foi a primeira reunião no TCE para tratar dos desafios para a limpeza da Lagoa da Pampulha
Funcionários da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) fazem a limpeza no espelho d'água da Lagoa da Pampulha
Grupo vai ajudar nas ações de limpeza da Lagoa da Pampulha (Foto: Rodrigo Clemente / PBH)

Um sistema de governança está sendo estudado para gerir as ações de recuperação e despoluição da Lagoa da Pampulha. A proposta deve ser apresentada por representantes da Copasa, Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam),  Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana, Tribunal de Contas do Estado (TCE) e das prefeituras de Belo Horizonte e Contagem.

O prazo para apresentar os detalhes do plano é de 60 dias. O sistema de governança vai ter o objetivo de apresentar uma visão macro dos pontos de atenção referentes à poluição da Lagoa da Pampulha.

Entre outras decisões que podem ser tomadas, está, por exemplo, apontar quem vai fazer a retirada do esgoto que é despejado no espelho d’água, em quanto tempo, e de que forma.

Essa foi a primeira reunião no TCE para tratar dos desafios para a limpeza da Lagoa da Pampulha. O grupo de trabalho foi criado no início deste ano após o relatório do órgão apontar que as obras relacionadas à retirada do esgoto da bacia são ineficazes para a revitalização total da lagoa.

Leia também:

Ex-deputado Narcio Rodrigues vira réu por suposto desvio em convênio em MG

A viagem de José Dirceu a Belo Horizonte

MPF vai investigar invasões e ameaças contra indígenas Pataxó em MG

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse