Tragédia de Brumadinho: Justiça libera R$ 66 milhões da Vale para parques nacionais em Minas

Recurso faz parte de multas milionárias aplicadas à mineradora pelos danos causados pelo desastre
Parque Nacional da Serra da Canastra, em Minas Gerais
Um dos parques contemplados com os recursos é o Serra da Canastra. (Foto: Arquivo/ICMBio)

A Vale terá que transferir R$ 66 milhões para a melhoria estrutural dos parques nacionais que ficam em Minas Gerais. O recurso é decorrente das multas ambientais aplicadas à mineradora pelos danos provocados pelo rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, na Grande BH. A Justiça Federal autorizou a transferência, após um acordo.

Os valores serão repassados ao Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio) e serão destinados aos seguintes parques: da Canastra, do Caparaó, da Serra do Cipó, da Serra do Gandarela, Cavernas do Peruaçu, Grande Sertão Veredas e das Sempre-Vivas.

Os recursos serão aplicados em infraestrutura básica, como sinalização, demarcação e desenvolvimento socioeconômico do entorno das áreas verdes. Os projetos deverão ser executados no prazo de 36 meses.

Milhões em multas

Desde o rompimento da barragem em Brumadinho, em 2019 – tragédia que deixou 270 mortos, entre as vítimas duas grávidas – a Vale recebeu R$ 250 milhões em multas pelos danos provocados, como a contaminação da bacia do Paraopeba e a interrupção do abastecimento.

Um acordo firmado em 2020 determinou o repasse de R$ 150 milhões aos parques nacionais de Minas Gerais. Os outros R$ 100 milhões são para projetos que beneficiem cidades mineiras, com foco no avanço nas áreas de saneamento básico, coleta de resíduos sólidos e estruturação de áreas verdes urbanas. O Ministério do Meio Ambiente ficará responsável por escolher os investimentos.

Leia também:

Servidora é presa após mentir sobre falso câncer e receber R$ 656 mil do Estado

Justiça proíbe Prefeitura de Ouro Preto de realizar contratações temporárias

Ministério e deputados montam força-tarefa para acompanhar denúncias feitas por terceirizados da educação em BH

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse