Brumadinho: MPF avalia recurso contra decisão que livrou ex-presidente da Vale de ação criminal

Turma do TRF-6 considerou que não há provas que Fábio Schvartsman sabia dos riscos ou tenha sido negligente
Ex-presidente da Vale Fábio Schvartsman durante depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) de Brumadinho e Outras Barragens, no Senado
Schvartsman ainda responde a outros processos pelo caso. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O Ministério Público Federal (MPF) ainda estuda se irá entrar, ou não, com um recurso contra a decisão da Segunda Turma do Tribunal Regional Federal da 6ª Região, que trancou duas ações penais contra o ex-presidente da Vale, Fábio Schvartsman. Ele era investigado por homicídio qualificado e crimes ambientais provocados pelo rompimento da barragem em Brumadinho, na Grande BH.

O acórdão foi publicado na última quarta-feira (27). Por meio de nota, divulgada nesta segunda-feira (1), o MPF afirmou que irá analisar o teor da decisão “para verificar a possibilidade de interposição de recurso”.

O órgão não adiantou se irá oferecer outra denúncia contra Fábio. Para isso, as acusações deverão ter como base novas provas.

A Segunda Turma do TRF-6 considerou, por 3 votos a 0, que não há provas suficientes de que Schvartsman soubesse dos riscos ou tenha sido negligente.

Leia também:

MDB presta solidariedade a deputado mineiro condenado por corrupção e confia em reversão de sentença

Fávaro vai à Câmara explicar fiasco no leilão de arroz

Cassinos voltam à mesa da CCJ do Senado

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse