Patos de Minas entra definitivamente na rota de investimentos privados

ATS assume operação, antes terceirizada, e conta, agora, com equipe própria para chegar a 500 clientes
Geovanne Teles, fundador da ATS Informática, que amplia o atendimento para o interior de Minas
Geovanne Teles, fundador da ATS / Foto: Reprodução

Não é novidade para ninguém a transformação tecnológica que tomou conta do País – e do planeta – já ao menos há duas décadas, com a disseminação da internet por todo o globo. Antes disso, uma outra década atrás, a computação ganhava espaço nas empresas e nos domicílios, transformando definitivamente a vida humana sobre a Terra. Saímos, literalmente, da caverna analógica e adentramos ao (novo) mundo digital.

Belo Horizonte é a 2º cidade mais inteligente da Região Sudeste no ranking Connected Smart Cities. Na classificação geral, BH ficou em 4º lugar, considerando todo o país. Para quem gosta de ver o copo meio-cheio, o resultado é bom. Para quem, ao contrário, como eu, sempre resmunga por alguma coisa, o copo está meio-vazio. Considero inadmissível ter cidades menores e, em tese, menos ricas, como Florianópolis, por exemplo, à nossa frente.

FESTA NO INTERIOR

Escrevi, há pouco, uma coluna sobre o retumbante desenvolvimento do interior de Minas, principalmente as regiões ligadas ao agronegócio. Nosso estado depende muito, é verdade, de commodities agropecuárias e minerais, mas não podemos desprezar a importância e o crescimento de outros setores como o industrial e, sobretudo, o de serviços, um dos mais importantes e impactantes socioeconomicamente para o estado e sua população.

Neste sentido, merece aplausos e comemoração a iniciativa de uma das mais tradicionais empresas de tecnologia de Minas, senão do Brasil, a ATS Informática – com nada menos que 32 anos de vida – ao expandir suas atividades (e foco) para outras cidades mineiras. A sede da empresa, que hoje atende a mais de 5 mil clintes e 40 mil usuários, é em Belo Horizonte, aquela “segunda” – que raiva!! – cidade mais inteligente citada acima.

PATOS É NÓIS, SÔ

Tenho 56 anos e sou da geração mineira que ama Patos de Minas, afinal, quem nunca viveu um amor de verão, ops!, do milho, hehe? Sim, me refiro, obviamente, à tradicionalíssima Festa do Milho, evento anual da simpatissíssima cidade, que atrai turistas de todo o Brasil, mas, principalmente, da capital. E atrai, sobretudo, a garotada, sedenta por música boa, cerveja gelada e a mais bela juventude do estado. 

Eu sei – é claro! – que não foi isso que atraiu os olhos e olhares do fundador da ATS, Geovanne Teles, para a cidade, mas sim sua economia dinâmica e o potencial empreendedor da região. Fato é que a ATS assumiu a operação de Patos, antes terceirizada, e conta, agora, com uma brilhante equipe própria, inclusive com um gerente dedicado, cujo objetivo é atender 500 clientes em 2024 (um crescimento de 60%).

ENCERRO

“Descomplicar para prosperar”. Esse é o lema, aliás, a obsessão da ATS. Segundo Geovanne, “o tempo é nossa moeda mais valiosa’, por isso os especialistas da empresa “mergulham fundo nas dores do clientes”, buscando não apenas solucionar problemas, mas propor alternativas que otimizem os resultados: “cada um no seu quadrado”, arremata Teles. “Eles empreendem e eu cuido para que tenham ainda mais sucesso”. Vida longa a Patos e a ATS.

Leia também:

STF vira palco de nova batalha judicial sobre ações de prefeituras contra mineradoras no exterior

A queda de braço entre o PT e o PRD pelo apoio do Republicanos em Contagem

Pontapé inicial do novo PTB em Minas tem Saraiva Felipe, Apolo Heringer e ex-deputados

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse