Aécio e outros 13 de MG faltam a sessão que manteve Brazão preso

Ausência da bancada mineira, de 26%, foi superior à média da Câmara
Aécio Neves no Plenário da Câmara
Ex-governador de Minas não tem ganhado a simpatia de colegas na capital. Foto: Marina Ramos/Câmara dos Deputados

Aécio Neves foi um dos 14 deputados federais de Minas Gerais que faltaram à sessão na noite de quarta (10) que decidiu manter Chiquinho Brazão preso.

A Câmara aprovou a manutenção da prisão de Chiquinho por 277 x 129. Outros 28 deputados se abstiveram. E outros 78 simplesmente não registraram presença.

Os 14 deputados de Minas que faltaram ao Plenário foram:

  • Aécio Neves (PSDB-MG)
  • Bruno Farias (Avante-MG)
  • Domingos Sávio (PL-MG)*
  • Emidinho Madeira (PL-MG)
  • Greyce Elias (Avante-MG)
  • Igor Timo (Podemos-MG)
  • Lincoln Portela (PL-MG)
  • Luis Tibé (Avante-MG)
  • Luiz Fernando (PSD-MG)
  • Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG)
  • Pinheirinho (PP-MG)
  • Rafael Simões (União-MG)*
  • Rodrigo de Castro (União-MG)
  • Stefano Aguiar (PSD-MG)

* Registre-se. Como mostramos, Domingos Sávio e Rafael Simões votaram para soltar Chiquinho na CCJ da Câmara. Horas depois, faltaram ao Plenário.

Registre-se ainda: Minas Gerais tem 53 deputados federais. Faltaram 14, ou seja, mais de 26%. Da Câmara como um todo faltaram 15%, e portanto a ausência mineira foi acima da média.

Já Dimas Fabiano (PP-MG) foi o único deputado de Minas que se absteve no plenário. Ou seja, compareceu, registrou presença, mas não votou.

A assessoria de imprensa de Aécio não respondeu a O Fator por que ele faltou.

Leia também:

Fávaro vai à Câmara explicar fiasco no leilão de arroz

Cassinos voltam à mesa da CCJ do Senado

Justiça suspende atividades de mineradora na Serra do Curral em Belo Horizonte

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse