FGV inicia cadastro para programa de renda em Barão de Cocais após risco de rompimento de barragem da Vale

Cerca de 10 mil pessoas tiveram que deixar suas casas após estrutura correr risco de desabar
Projeção da Mina Gongo Soco, em Barão de Cocais, na Grande BH
Barragem na Mina Gongo Soco, em Barão de Cocais, foi interditada em 2019 (Foto: Reprodução / Google Maps)

A Fundação Getulio Vargas (FGV) vai iniciar, na próxima segunda-feira (6), o cadastramento dos beneficiários do Programa de Transferência de Renda (PTR) em Barão de Cocais, que auxilia as famílias que foram obrigadas a se retirar de suas residências devido ao risco de rompimento da barragem Sul Superior, da Mina Gongo Soco, operada pela Vale. O programa é resultado de um acordo de R$ 527 milhões firmado entre a mineradora, a prefeitura e instituições de Justiça, como o Ministério Público Estadual e Federal, e a Defensoria Pública.

Ao todo, cerca de 10 mil pessoas são atendidas pelo programa. Elas foram retiradas de suas casas nos distritos de Socorro, Tabuleiro, Piteiras e Vila do Gongo há cinco anos, cerca de um mês depois do rompimento da barragem de Córrego do Feijão, em Brumadinho.

Embora a barragem não tenha se rompido, os moradores não puderam retornar às suas antigas residências por questões de segurança. Dos R$ 527 milhões do acordo, R$ 125 milhões foram destinados especificamente ao PTR, que terá duração prevista de um ano a partir da homologação do contrato, assinado em maio.

O processo de cadastramento

O cadastramento dos beneficiários está sendo realizado pela FGV em um posto de atendimento fixo na Rua Dr. Moura Monteiro, nº 166, Vila Regina. O posto funcionará diariamente, inclusive aos sábados e domingos, das 8h às 17h.

Apenas as pessoas nominalmente listadas nos Anexos II, III e IV do Acordo têm direito a receber o benefício. Elas deverão comparecer pessoalmente ao posto, portando um documento de identidade, para concluir o cadastro.

Facilidades para abertura de contas bancárias

No mesmo local, a FGV disponibilizou um posto do Banco do Brasil para facilitar a abertura de contas bancárias para aqueles que não possuem. Para menores de idade, será oferecida uma conta poupança, enquanto os beneficiários adultos poderão optar por poupança, conta corrente ou até planos de previdência privada.

Leia também:

Ex-deputado Narcio Rodrigues vira réu por suposto desvio em convênio em MG

A viagem de José Dirceu a Belo Horizonte

MPF vai investigar invasões e ameaças contra indígenas Pataxó em MG

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse