Justiça aceita ação de vereadores do PT e manda PBH paralisar corte de árvores no Mineirão

Município prepara para receber evento da Stock Car no estádio
Segundo os organizadores e a prefeitura, haverá compensação ambiental com o replantio de 600 árvores depois que outras 60 forem retiradas da área do Mineirão. Está prevista, ainda, a instalação de uma contenção de som para evitar que ruídos cheguem com força até a Escola de Veterinária da UFMG.
Segundo os organizadores e a prefeitura, haverá compensação ambiental com o replantio de 600 árvores depois que outras 60 forem retiradas da área do Mineirão. Está prevista, ainda, a instalação de uma contenção de som para evitar que ruídos cheguem com força até a Escola de Veterinária da UFMG.

A Justiça estadual determinou a paralisação do corte de árvores no entorno do Mineirão até que conclua a análise do processo. A decisão é do juiz Thiago Grazziane, da 3ª Vara da Fazenda Públcia de BH e foi publicada na tarde desta quinta-feira (29), depois que a bancada do PT na Câmara Municipal, por meio dos vereadores Pedro Patrus e Bruno Pedralva, ingressou com uma Ação Pública pedindo que a PBH fosse impedida de continuar o corte de árvores.

De acordo com o juiz Grazziane, “com base no princípio da precaução e do poder geral de cautela, é inconteste a necessidade de deferimento parcial da medida liminar apenas no que se refere, por agora, à supressão das árvores, porquanto, à toda evidência, o corte das árvores poderá acarretar danos irreversíveis para o meio ambiente e para os munícipes”.

O corte de árvores se iniciou na quarta-feira (28) e tem como objetivo preparar a área para a instalação do evento da Stock Car no estádio. Segundo os organizadores e a prefeitura, haverá compensação ambiental com o replantio de 600 árvores depois que outras 60 forem retiradas da área do Mineirão. Está prevista, ainda, a instalação de uma contenção de som para evitar que ruídos cheguem com força até a Escola de Veterinária da UFMG.

Leia também:

Servidora é presa após mentir sobre falso câncer e receber R$ 656 mil do Estado

Justiça proíbe Prefeitura de Ouro Preto de realizar contratações temporárias

Ministério e deputados montam força-tarefa para acompanhar denúncias feitas por terceirizados da educação em BH

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse