PC indicia ex-deputado ligado a mineradoras por ameaça contra secretária de Meio Ambiente de MG

Empresário reclamava sobre possível demora no processo de licenciamento ambiental da empresa Fleurs
O caso agora segue para o MPMG, que vai avaliar se uma denúncia será formalizado à Justiça.
O caso agora segue para o MPMG, que vai avaliar se uma denúncia será formalizado à Justiça.

A Polícia Civil de Minas indiciou o ex-deputado João Alberto Paixão Lages, presidente da Associação das Mineradoras de Ferros do Brasil, por injúria e ameaça contra a Secretária de Estado de Meio Ambiente de MG, Marília Carvalho de Melo. O indiciamento foi baseado em mensagens de áudio enviadas à secretária em dezembro.

Nas mensagens, o empresário reclamava sobre possível demora no processo de licenciamento ambiental da empresa Fleurs Global, que atua no processamento de minério extraído da região da Serra do Curral.

Segundo relatório da PC obtido por O FATOR, a ameaça “visava interferir no andamento do processo de licenciamento ambiental SLA 284/2022, com o intuito de coagir a Secretária Marília Carvalho de Melo a agilizar o processo, sob a alegação de que o processo estava se delongando”.

Em um dos áudios enviados, o investigado afirmou: “Marília eu tentei ser cordial com você e não respondeu. Então minha amiga, bora lá uai, pra guerra, continuar sempre…Prepara-te”. Essas mensagens foram interpretadas como uma tentativa de intimidar a secretária para acelerar o processo de licenciamento,

O caso agora segue para o MPMG, que vai avaliar se uma denúncia será formalizado à Justiça.

A propósito, no decorrer da tramitação no MPMG e na Justiça, um acordo entre as partes pode acontecer para que o processo não avance e seja encerrado. Em depoimento aos investigadores, João Alberto afirmou estar arrependido de enviar as mensagens – fato que evidencia a possibilidade de acordo.

O licenciamento ambiental da Fleurs tramita na Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam). No início de fevereiro, uma audiência pública foi realizada pela mineradora em Sabará para explicar aos moradores da região como se dá o trabalho. A audiência foi marcada pela secretaria e é um dos trâmites legais dentro do processo de licenciamento.

Leia também:

Fávaro vai à Câmara explicar fiasco no leilão de arroz

Cassinos voltam à mesa da CCJ do Senado

Justiça suspende atividades de mineradora na Serra do Curral em Belo Horizonte

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse