Pivô de exoneração de Helvécio Magalhães foi ‘prefeita’ da Cidade Administrativa na gestão Pimentel

Empresário atuou em cargo escolhido justamente por ex-secretário
Segundo interlocutores, Esposito e Magalhães sempre foram muito próximos e, de fato, o agora ex-secretário nacional chegou a tentar, internamente, indicar a empresária para um cargo no Ministério da Saúde
Segundo interlocutores, Esposito e Magalhães sempre foram muito próximos e, de fato, o agora ex-secretário nacional chegou a tentar, internamente, indicar a empresária para um cargo no Ministério da Saúde. Foto: Divulgação/ALMG

Pivô do recente escândalo no Ministério da Saúde que derrubou o secretário de Atenção Especializada à Saúde do Ministério da Saúde, Helvécio Magalhães, nesta terça-feira (19), a empresária Grasielle Esposito é velha conhecida de interlocutores da política mineira.

Durante o governo Pimentel, Esposito foi nomeada para ser a “prefeita” da Cidade Administrativa, cargo ligado à Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão, na época comandada justamente por Helvécio Magalhães.

No cargo, ela era a responsável por contratos de altos valores para a gestão e manutenção dos prédios da sede do Executivo de Minas Gerais, incluindo pedidos de contratação de terceirizados.

Segundo interlocutores, Esposito e Magalhães sempre foram muito próximos e, de fato, o agora ex-secretário nacional chegou a tentar, internamente, indicar a empresária para um cargo no Ministério da Saúde. Apesar de não ter conseguido emplacar a aliada, Helvécio continuou confiando a ela funções relevantes.

Neste domingo (17), o ‘Fantástico’, da TV Globo, exibiu reportagem em que mostra Grasielle Esposito, que não possui cargo público, visitando um hospital federal no Rio de Janeiro para “avaliar as condições da estrutura de energia e tratar da reabertura da emergência da unidade” a mando de Helvécio Magalhães.

Leia também:

MDB presta solidariedade a deputado mineiro condenado por corrupção e confia em reversão de sentença

Fávaro vai à Câmara explicar fiasco no leilão de arroz

Cassinos voltam à mesa da CCJ do Senado

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse