Casal usou morador de rua para aplicar golpe de meio milhão no Estado, afirma MPMG

Servidora estadual comprou carros e celulares com o dinheiro
Tema foi abordado em coletiva na tarde desta quinta-feira. Foto: Divulgação.

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) confirmou, em entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira (20), que a assessora judiciária que aplicou um golpe de meio milhão no Estado usou um morador de rua para cometer o crime. O namorado da servidora estadual também participou do processo. Os três foram detidos na tarde de ontem.

O homem em situação de rua concordou em receber um valor considerado baixo para simular um falso câncer. A servidora articulou uma ação fraudulenta para obter a liberação de R$ 1,6 milhão para, supostamente, comprar medicamentos. R$ 656 mil já haviam sido depositados na conta de um dos investigados.

Entenda

A operação ‘Efeito Colateral’ contou com a participação de dois promotores de Justiça, oito agentes do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), 15 policiais militares e oito viaturas.

Foram cumpridos três mandados de prisão e dois mandados de busca e apreensão para arrecadar materiais ilícitos, objetos e instrumentos ligados às práticas criminosas.

— Tendo em vista o prejuízo gerado ao Estado de Minas Gerais, houve bloqueio de contas bancárias e sequestro de bens móveis e imóveis dos investigados — disse a MPMG, que confirmou que o casal comprou carros e celulares com o dinheiro.

Leia também:

Psol aciona Justiça por suspensão da lei que criou ‘censo do aborto’ em BH

MP denuncia famílias que adotaram homeschooling em cidade mineira

Justiça vê irregularidade em nomeação no interior de Minas e cita deputado em sentença

Acompanhe O Fator no Instagram

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse