Governo encerrou renegociação de acordo de leniência sem explicação, diz Andrade Gutierrez

Construtora pontua falta de isonomia do Estado e afirma que outras empresas acusadas de fraude não assinaram acordo
Andrade Gutierrez ainda quer uma rediscussão dos valores. Foto: Divulgação.

A tentativa de acordo entre a construtora Andrade Gutierrez e o governo mineiro segue dando o que falar. A empresa disse a O Fator que o Estado encerrou a renegociação do acordo de leniência “sem explicação”. 

Mais cedo, a reportagem trouxe detalhes sobre a tentativa da empresa, investigada e denunciada à Justiça por fraudes na obra de construção da Cidade Administrativa, em fazer um “acordo em cima do acordo de leniência”. A tratativa pretendia mudar o acerto de R$ 128,9 milhões, assinado em 2021. O contrato foi rescindido hoje pelo Estado.

Posicionamento

Segundo a Andrade Gutierrez, a renegociação estava a pleno vapor. A empresa alega que a Comissão Técnica responsável pelo caso não apontou nenhum impedimento para a repactuação.

“Sem qualquer justificativa, as tratativas não foram acolhidas pelo Governo de Minas Gerais, que decidiu pelo encerramento do acordo e comunicação imediata à empresa e à mídia”, explica.

A empresa ainda alega que foi a primeira a celebrar acordo com a  Controladoria-Geral do Estado de Minas Gerais (CGE-MG) e a única a realizar pagamentos do acordo.

“Outras empresas envolvidas nos mesmos assuntos sequer celebraram algum tipo de acordo. Fatos que, por si só, já ferem o princípio básico de tratamento isonômico que o Governo deveria dar para o setor”, pontua.

Valores

Mesmo sem renegociação, a instituição ressaltou que vai cumprir os acordos assinados. No entanto, ainda espera uma rediscussão dos valores.

O governo rescindiu com a Andrade Gutierrez nesta quarta-feira, 10, por falta de pagamento do acordo firmado em 2021. A empresa se comprometeu a pagar R$ 128,9 milhões em 32 parcelas trimestrais por conta das fraudes cometidas durante a obra. Contudo, deixou de acertar cinco parcelas que somam a quantia de R$ 20 milhões.

Leia também:

Psol aciona Justiça por suspensão da lei que criou ‘censo do aborto’ em BH

MP denuncia famílias que adotaram homeschooling em cidade mineira

Justiça vê irregularidade em nomeação no interior de Minas e cita deputado em sentença

Acompanhe O Fator no Instagram

Veja os Stories em @OFatorOficial. Acesse